Ex-prefeito feirense faz da hipocrisia uma espécie de homenagem que o vício presta à virtude/ Por Sérgio Jones*

O ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM), publicou na mídia local uma nota comemorando a escolha de Feira como uma das 100 melhores Cidades do Brasil para se viver. Esse tipo de nota capciosa só poderia partir de um político caudilhesco que tomou politicamente o município de assalto e se encontra no controle do poder, por mais de duas décadas.

Ele atribui a avaliação, a estudos engendrado pela Macroplan, Empresa Brasileira de Consultoria com sede no Rio de Janeiro. A procedência não é uma das melhores se levarmos em conta a atual realidade desse Estado. Há quem afirme que para obter essa classificação deve ter rolado muita grana por fora ou quem sabe, até mesmo por dentro.

Procurando surfar na crista da onda e obter dividendos políticos que tal notícia propicia a quem vive na carência de notícias positivas, a raposa felpuda da política local resolveu sair na frente, como todo bom oportunista divulgou uma nota com sólido cheiro demagógico, em que prevaleceu citações com tons emocionais fortes, na tentativa piegas de conquistar mentes e corações.

Eis alguns trechos da pérola discursiva do Zé: “A nossa querida Feira de Santana, mais uma vez, é reconhecida nacionalmente. Estamos entre as 100 melhores cidades do Brasil para se viver, na classificação do Índice dos Desafios da Gestão Municipal 2021, o estudo elaborado pela Macroplan, conceituada consultoria, neste país em cenários prospectivos e administração estratégica”.

Na sequência destacou o orgulho para todos por se tratar de um país com dimensões continentais, com mais de 5.560 mil municípios, e destacou o fato de estarmos à frente de capitais como Manaus, Belém, Aracaju, Rio Branco, São Luiz e Maceió, em uma rigorosa avaliação de qualidade do nível de vida, que envolve a educação, segurança e saúde.

Esqueceu de citar as péssimas qualidades do transporte coletivo na cidade, escândalos provocados pelo desvio de recursos da saúde pública, a depauperada situação em que se encontra a rede pública de ensino municipal, entre outras mazelas sociais que tem agravado de forma substancial e perversa, o nível da qualidade de vida do feirense.

Claro que ele na qualidade de ‘representante vitalício’ na província de Feira tem que estar feliz. Só para se ter a ideia dessa felicidade pode se verificar o seu imenso patrimônio financeiro conquistado ao longo de sua ‘abnegada’ vida pública.

Para se ter uma pálida ideia do mesmo, faz algum tempo que a justiça promoveu o bloqueio de 24 milhões de seus bens.

Ele não deve estar totalmente feliz devido a esta ação adotada pela justiça. Por isso mesmo tenta utilizar notícias de alto teor duvidoso como cortina de fumaça buscando esconder o que de fato acontece de podre nos bastidores da política local.

Finalizando o seu patético e cínico pronunciamento diz: “Tenho convicção de que continuamos trilhando o caminho do desenvolvimento cada vez mais humano e sustentável. Parabéns, Feira de Santana!”. Deixando claro, com suas palavras, que faz da hipocrisia uma homenagem que o vício presta à virtude.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.