O tirano Trump quer transformar o Brasil em uma colônia estadunidense/ Por Sérgio Jones*

Encontro da Fera com o Besta
FOTO: Arquivos Google

Encontramo-nos à beira de cometer um dos mais venais crimes contra a soberania da nação brasileira e o seu povo, caso o nefasto Bolsonaro acate as exigências impostas pelo, não menos execrável, presidente estadunidense, Donald Tramp. Ele quer fazer com que o país se torne uma colônia para atender os seus vis interesses, imperialistas. Bolsonaro se encontra, no presente momento, em visita aos Estados Unidos.

Para que esta brutal realidade possa ser efetivada basta que o “Capitão do Mato” acate de forma dócil, a imposição canalha de seu “colega”. A Casa Branca exigirá do Brasil ações concretas contra Cuba, Nicarágua e Venezuela – países que os Estados Unidos julgam fazer parte de um trio de tirania. Ele também exige de Jair Bolsonaro ações contra o Irã e China, que é o maior parceiro comercial do Brasil.

Se o pupilo Bolsonaro ceder a Trump, na prática, os Estados Unidos venderão para a China o que hoje é vendido pelo Brasil, causando prejuízos bilionários ao agronegócio que já se arrepende de ter apoiado um projeto de Brasil Colônia.

O que os sobrinhos do tio Sam passam a exigir do Brasil e do povo brasileiro é a mais odienta e canalha subserviência ao exigir que nos comprometamos em ações efetivas contra Venezuela, Nicarágua e Cuba.

Quanto às relações comerciais existentes do Brasil com a China também estarão na pauta. Os americanos tentam atrair o apoio de Bolsonaro na guerra comercial contra os chineses, para que o país oriental tenha menos influência na América Latina. A China, no entanto, é o principal parceiro comercial do Brasil. O grande perigo que o Brasil corre é que o insano, odiento e reacionário presidente brasileiro eleito, adote o velho provérbio popular: “Para quem já está na porta do inferno que custa dar um beijo no capeta”.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.