O medo que a Rede Globo tem de Lula

Organizações Globo, sempre a serviço dos golpes.
FOTO: arquivo Google

“Quando vocês tiverem dúvidas quanto a que posição tomar diante de qualquer situação, atentem… Se a Rede Globo for a favor, somos contra. Se for contra, somos a favor!” – Leonel Brizola.

Nas eleições para Governador do Rio de Janeiro em 1982, Leonel Brizola passou por cima de seus concorrentes de forma esmagadora. Até então ele era considerado um candidato do PDT sem as mínimas chances de ser eleito, segundo as pesquisas, com certeza, manipuladas pelas Organizações Globo de Roberto Marinho.

Logo após sua vitória, tornou-se público um golpe hediondo planejado pelas “Organizações” Globo. O plano “sujo” da “Organização” consistia em roubar votos de Leonel Brizola levando-o assim a uma derrota. Mas o que ocorreu foi uma célebre vitória categórica e arrasadora. Em 2004, a morte levou Brizola – nunca seus ideais.

Felizmente, em meio a esse lamaçal pseudojornalístico, ainda existe um pequeno grupo que pratica o jornalismo honesto. Como é o caso do Brasil247.com, conversaafiada.com.br, entre outros. Porém, por serem honestos, passam por dificuldades e perseguições. Veja a seguir o depoimento de Marcia Tiburi a respeito deste assunto:

“Do jeito que a comunicação brasileira, que os meios de comunicação têm sido sequestrados por um pensamento autoritário, é muito importante a gente sustentar esse parâmetro democrático do 247. Faça sua doação, seja generoso dentro das suas possibilidades e esteja junto com a gente nessa luta pela democracia no Brasil” Marcia Tiburi é filósofa, escritora e professora.

Atualmente é notório que a Rede Globo tem um medo exorbitante da vitória de Lula nas eleições de 2018. Todos sabem que além desta “Organização” sempre cercear o direito inalienável do cidadão se informar – os telejornais desta emissora sonegam informações e distorcem os fatos, fantasia, adultera, lobotomiza – tem a sórdida missão de desmoralizar perante o eleitorado, a imagem do ex-presidente.

Rede Golpe de Comunicação a serviço dos militares.
FOTO: arquivo Google

A “Organização” joga uma mentira no ar, principalmente no JN – Jornal Nacional, jornalismo de encomenda – e no dia seguinte o Ministério Público – MP – transforma “esta mentira” em investigação deixando vazar todos os dados para a Rede Globo. Com certeza sai tudo em primeira mão no “Plantão do JN” e à noite com mais detalhes no “famigerado” telejornal.

Qual imbecil atualmente tem alguma descrença de que, com assessoria do Judiciário, o Ministério Público vai trabucar para conseguir impedir a volta de Lula em 2018?

Em um de seus pronunciamentos Lula afirmou: “pois é o seguinte, não me chame pra briga, porque eu sou bom de briga e eu gosto dessa briga”.

Não é necessário explicar detalhadamente porque as “Organizações” Globo dos irmãos Marinhos tem tanto medo do retorno de Lula à Presidência da República!

Alberto Peixoto – Escritor

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Religião, Política e Sexo

Para que lado seguir? Que rumo tomar?
FOTO: arquivos Google

Em 1534, inicio do século XVI, Henrique VIII, rei da Inglaterra, apaixonou-se perdidamente por Ana de Bolena, dama de companhia de sua esposa, a Rainha Catalina de Aragon, e exigiu que o Papa Clemente VII anulasse o seu casamento, para que ele pudesse casar-se com a serviçal do castelo. Como o Papa Clemente VII não acatou o desejo do indômito rei, foi criada então, a Igreja Anglicana, onde Henrique VIII pôde, enfim, casar-se com Ana de Bolena. Alguns anos, após o exótico matrimonio, a infeliz Ana, por não ter presenteado ao rei um herdeiro “varão”, foi decapitada por ordem do seu algoz amado, que retornou para sua ex-esposa, Catalina de Aragon.

Exatamente no ano de 1517, também século XVI, o Cardeal Martinho Lutero, decidiu publicar as famosas “95 teses”, que denunciavam a Igreja Católica por cobrança de indultos e de vender objetos consagrados pela igreja, prática hoje corriqueira em todos os seguimentos religiosos o que transformou a igreja em um grande “negócio”. A Igreja Católica se defende dizendo que simplesmente trocava “recordações” – brindes – com aqueles que faziam doações para a construção da Capela Sistina – o Vaticano alegava não ter verba suficiente para concluir a célebre obra.

Na realidade, a revolta de Lutero, foi por não ter sido indicado através dos cardeais que, liderados pelo Carmelengo, compunha o “Conclave” que elegeria o novo Papa. Martinho Lutero perdeu essa oportunidade para Leão X, surgindo daí, o Luteranismo, que mais tarde tomou o nome de Protestantismo, hoje conhecido por Crente, Cristão, Evangélico, etc. Acho que a variedade de nomes é devido à quantidade de sub-divisões a que se submeteram os seguidores de Lutero.

Em 20 de abril de 1233, século XI, o Papa Gregório IX, editou duas bulas que marcaram o início da “Inquisição”, Instituição da Igreja Católica Romana que perseguiu, torturou e assassinou vários dos seus inimigos, ou quem ela entendesse como inimigo, acusando-os de hereges, por vários séculos. Um dos mártires mais conhecido desta funesta “Instituição religiosa”, foi a francesa Joana D`arc, classificada pelos bispos católicos, como “uma bruxa enviada do demônio”, devido ao seu alto grau mediúnico. Foi torturada durante seis meses, sendo na véspera de sua execução, estuprada pela maioria dos soldados que montavam guarda no quartel e alguns detentos, companheiros de sela. Teve sua cabeça raspada e, por fim, “queimada viva” na praça principal de Rouen – cidade francesa – em uma “ardente” fogueira.

A Rainha Teodora, esposa do Imperador Justiniano, que se dizia entender teologia mais do que o Papa, por ter sido prostituta – antes de cair nos encantos do Imperador – perturbou-se ante o fato de suas ex-colegas se sentirem orgulhosas e decantarem essa condição de pertencerem ao mesmo ofício, mandou seus vassalos matarem, todas as “quinhentas” prostitutas de Constantinopla, ocasionando uma revolta dos cristãos da época que a classificaram de assassina, desejando que ela reencarnasse como prostituta e fosse assassinada quinhentas vezes em vidas futuras, a fim de expiar seus crimes. Teodora, que mandava e desmandava em meio mundo, conseguiu que no Concílio de Constantinopla, realizado em 553 dC., retirassem dos textos Bíblicos a palavra REENCARNAÇÃO, substituindo-a por ressurreição, o que só foi permitido a Jesus Cristo, filho de Deus.

E eu – após constatar que religiões surgiram para oficializar o relacionamento extraconjugal de um rei e sua amante; as desavenças políticas de um Cardeal Católico que queria ser Papa e a Cúpula do Vaticano; Uma ex-prostituta se tornou Imperatriz e quis apagar o seu passado com o sangue de suas ex-companheiras de profissão; Perseguições da Igreja Católica a fim de se manter no poder – fiquei mais perdido do que cego em tiroteio.

Para que lado seguir? Que rumo tomar? A resposta veio rápida! Deus está dentro e em volta de você, na natureza, na inocência das crianças, na chuva que cai, fertilizando o solo, no sol que aquece, nas flores que embelezam nossos jardins, na mão que afaga, no sorriso que harmoniza a vida e acaricia a nossa alma; atendendo ao apelo do nosso Irmão Maior, Jesus Cristo, dando água a quem tem sede, comida a quem tem fome, cobertor a quem tem frio, amando ao próximo em um amor fraterno, verdadeiro, e a Deus por convicção, não por mandamentos.

É no silencio do quarto, ou na tranquilidade que nos oferece uma vista a beira mar, ouvindo a sinfonia das ondas que beijam a – quase sempre – alva areia das praias, do apogeu ao perigeu de um dia vivido com honestidade e justiça, que conseguimos nos sintonizar com a Força Maior do Universo. Com certeza, você nunca vai encontrar Deus, nas frias e “mofadas” paredes dos templos. Ele se encontra dentro de nós!

Alberto Peixoto – Escritor

 

 

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Não importa a cor da pele

Não importa a cor da pele nem a cor dos seus olhos
FOTO: arquivo Google

Não importa a cor da pele, se o cabelo é crespo, ondulado ou liso; se é pobre ou rico. O que importa mesmo é o conteúdo. Temos que aceitar as pessoas como elas são, como nasceram e como vivem. Disse São Paulo em uma de sua epistolas: “o importante para Deus, é o que está no âmago do coração das pessoas…” Somos especiais por que fomos criados à imagem e semelhança de Deus, por isso, a aparência física não tem a mínima importância.

Sendo nós pessoas equilibradas, as cores que existiriam em nosso interior dariam para pintar o céu, colorir o sol, maquilar a lua e todas as estrelas porque elas são formadas pelos nossos valores e princípios morais, que estão alicerçados no conceito de dignidade, o que retrata a essência do ser humano.

É muito difícil desligar-nos de emoções, desejos e paixões. É muito mais difícil ainda, aceitar os nossos erros e defeitos, mas é necessário ser solidários com o próximo, respeitar os seus direitos, seja qual for sua raça, credo ou seu prestígio, procurando um melhor relacionamento com o mundo físico e social.

O homem sem cérebro!
FOTO: arquivo Google

É muito complicado voltarmos para o nosso interior – principalmente para as pessoas que se sentem o centro do universo ou que se acham o sol, com o mundo girando em torno delas – constatar e aceitar tudo aquilo que não aceitamos ser, admitir que não somos o sol, nem o centro do universo e que o mundo não gira em torno de nós, chegando à conclusão de que somos, no plano atual, meros participantes do jogo da vida, em iguais condições diante do Criador.

Infelizmente temos que ouvir um candidato a Presidente da República Federativa do Brasil, de qualidades ínfima, um “ogro”, dizer que o negro é malandro e o índio indolente. Com certeza o cérebro deste elemento infinitesimal, se encontra na sola dos pés

Alberto Peixoto – Escritor

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Isto é Flamengo

O Flamengo possui uma torcida maior do que a população da Espanha

Infelizmente os atuais gestores do Clube de Regatas Flamengo, não compreendem ou não sabem da grandeza do clube que tentam administrar. Provam isso quando demitem às vésperas de um grande jogo, como deve ser Flamengo X Corinthians, que vai decidir a vida do Rubro negro carioca na Taça Libertadores das Américas. Mas, tudo bem. Que Deus nos proteja.

Revirando o meu baú, minhas tralhas, encontrei um texto que desconheço a autoria que diz o seguinte:

ISTO É FLAMENGO

“Flamengo não é somente um clube, uma agremiação esportiva. O Flamengo é uma religião, uma seita, um credo, com sua bíblia e seus profetas maiores e menores. O Flamengo é um amor, uma devoção, uma eterna comunhão de sentimentos.

Por ele muitos deram a vida, alienaram a liberdade, destruíram amizades, arruinaram lares, com homicídios e suicídios. O Flamengo, o flamenguismo, para ser mais exato, é uma cardiopatia. O Flamengo dá febre, dá meningite dá cirrose hepática, dá neurose, dá exaltação de vida e de morte. O Flamengo é uma alucinação.

Deveria ser feita uma lei federal que obrigasse o Flamengo a jogar em todo o Brasil, toda semana, e ganhar sempre. Quando o Flamengo vence, há mais amor nos morros, mais doçura nos lares, mais vibração nas ruas, à vida canta, os ânimos se roboram, o homem trabalha mais e melhor, os filhos ganham presentes.

O Flamengo não pode perder, não deve perder. Sua derrota frustra, entristece, humilha e abate. A saúde pública, a higiene nacional exigem que o Flamengo vença, para bem de todos, para felicidade geral, para o bem estar nacional”.

Infelizmente, como já disse, os gestores do “Mais Querido do Brasil”, desconhece tudo isso.

Alberto Peixoto – Escritor

 

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

O tão falado tema do Porto de Mariel em Cuba/Por José Manuel Cruz Cebola*

Porto de Mariel – Cuba

Muito se tem escrito sobre este tema, embora a maior parte do que se lê por aí tenha origem nos detractores de Lula e de Dilma e inimigos do PT. Em sua deliberada má fé, Aécio Neves e alguns manipuladores da direita costumavam dizer na maior cara de pau que o governo brasileiro estaria projectando construir um porto para Cuba só para ajudar o governo cubano, como se estivesse desviando dinheiro para a ilha que derrotou o império com a sua revolução invicta.

Podemos historiar de uma forma muito concisa o que se passou. Para além daquele conhecimento sobre a matéria que eu já tinha adquirido graças a bastante investigação, tive o cuidado de ler parte da documentação dos acordos na versão castelhana. Resumindo: ao tempo – 2009 e 2010 — os últimos dois anos do governo Lula — e em 2011, 2012 e 2013 — no primeiro mandato de Dilma e até esta ter sido afastada por força do ‘impeachment’, o BNDES brasileiro assinou contratos de financiamento ao empreendimento no valor de US$ 682 milhões. Para quem não sabe, os projetos de financiamento do BNDES no exterior existem para abrir mercados.

No caso concreto do porto de Mariel, as esferas políticas já tinham conhecimento da abertura por parte do então presidente norte-americano em relação a Cuba. Durante um encontro da Conferência Ministerial da Organização do Comercio (OMC), em Genebra, Suiça, em Novembro de 2009, o ministro cubano Malmierca relatou ao ministro brasileiro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que a administração Obama teria conseguido restabelecer o nível das relações do governo de Clinton, prejudicadas pelo seu antecessor George W. Bush, considerando que Obama “podría ser más ambicioso y, en un primer momento, autorizar los viajes de turismo a la isla de los estadounidenses”, disse Malmierca.

O governo brasileiro viu aí uma oportunidade de investimento. É importante que se saiba uma coisa: o BNDES não pode repassar um centavo para governos estrangeiros: quem a ele recorre é a empresa nacional que vai ganhar em dólares em obras por dezenas de países. Entendido? Repito: não houve empréstimo ao governo cubano e sim a uma empresa brasileira, no caso, o Grupo Odebrecht. O BNDES libera recursos apenas para empresas brasileiras que tenham sido encarregadas de realizar um serviço no exterior.

A relação do BNDES é com a empresa nacional, para gerar empregos no Brasil. Ao tempo, num mercado muito disputado, o Brasil era o oitavo maior exportador de serviços de engenharia do mundo. Do mundo, entenderam? A China desembolsou entre 2008 e 2012 um total de US$ 45,2 bilhões; os Estados Unidos, 18,6 bilhões; a Alemanha, US$ 15,6; e a França, US$ 14,6 bilhões, enquanto o Brasil financiou US$ 2,24 bilhões, ficando atrás ainda da Índia, do Japão e da Inglaterra. Começam agora a perceber?

Há que ponderar que em 2013, a Odebrecht Infraestrutura facturou US$ 8 bilhões no estrangeiro (exterior)! O BNDES não investiu em Mariel. O BNDES financiou as exportações de cerca de 400 empresas brasileiras, lideradas pela Odebrecht, no valor equivalente a 70% do projeto. Se o porto foi de grande importância para o socialismo cubano, foi o capitalismo brasileiro que mais ganhou até agora.

O porto de Cuba não impediu a construção de nenhum projeto no Brasil. Aliás, até ajudou.

Por meio da exportação de serviços, como a de Mariel, a Odebrecht capacitou-se e gerou resultados que aplicou no Brasil, como fez no terminal de contentores da Embraport, em Santos. É o maior do Brasil e foi construído pela Odebrecht, simultaneamente a Mariel, com investimento próprio de R$ 1,8 bilhão.

Mauro Hueb, director-superintendente em Cuba da Odebrecht, destacou numa entrevista ao tempo: “É importante ressaltar que US$ 800 milhões foram gastos integralmente no Brasil para financiar exportação de bens e serviços brasileiros para construção do porto e, como consequência disso, gerando algo em torno de 156 mil empregos diretos, indiretos e induzidos, quando se analisa que a partir de cada US$ 100 milhões de bens e serviços exportados do Brasil, por empresas brasileiras, geram-se algo em torno de 19,2 mil empregos diretos, indiretos e induzidos”. Alguém discorda? Se for o caso, que me ilumine.

A bem da verdade, os primeiros negócios dessa natureza com Cuba foram iniciados ainda no governo Fernando Henrique, como ressaltou o diretor do departamento de relações internacionais e comércio exterior da Fiesp, Thomaz Zanotto, em entrevista a Record News em 31 de janeiro de 2014.

Eu escrevi que queria ser conciso, mas já me estou a ‘esticar’ (perdoem o termo). Muito mais haveria que escrever, mas deixo aqui o essencial.
Correu tudo bem? Claro que não correu. Houve falhas de percurso. Bastantes. O que não é de estranhar, sobretudo se não nos esquecermos que no Brasil a corrupção é endémica.

Quanto a mim, o saldo foi muito positivo e esta empreitada foi mais um salto da Odebrecht para se tornar na maior construtora de obras públicas em todo o mundo. A maior! Em todo o mundo! Entenderam?E tudo o vento levou…

José Manuel Cruz Cebola – Critico

Sintra-Portugal

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Papo de escritor UBESC em Cachoeira/ Por Roberto Leal

Acontecerá dentro na “Semana da Boa Morte”, na Portuário Atelier Editorial (Rua Benjamin Constant, 05 – Ladeira da Cadeia, em Cachoeira/BA-Brasil), o “Papo de Escritor UBESC”, em comemoração ao  quinto aniversário da União Baiana de Escritores, dia 15 de agosto (quarta-feira), às 16 horas, com as participações da professora e escritora Jovina Souza e do jornalista, escritor e editor Roberto Leal.

Dentro do Projeto Atelier de Leituras (Especial de Agosto), teremos um bate papo diferente, mediado pelo poeta e agitador cultural João Vanderley de Moraes Filho, voltado para a temática negra, com uma rica alusão a África e o processo de discriminação racial brasileiro, além de uma exposição de obras literárias dos participantes e de autores negros africanos, em uma tarde de autógrafos.

O evento será realizado pela Portuário Atelier Editorial e UBESC – União Baiana de Escritores e tem o apoio do Instituto Hori, Revista Òmnira e Movimento Literário Kutanga/Angola. Mais informações (71) 98736-9778 ou pelo e-mail lealomnira@yahoo.com.br

Jovina Souza: é especialista em Estudos literários e mestra em Teoria e Crítica da Cultura e da Literatura

Jovina Souza nasceu no Estado da Bahia, mora atualmente em Salvador. Graduada em Letras vernáculas, concentrou seus estudos em Literatura brasileira e Teoria literária. É especialista em Estudos literários e mestra em Teoria e Crítica da Cultura e da Literatura. Dedica-se a escrever poemas, contos e textos acadêmicos.

É professora e poetisa, iniciou sua luta contra o racismo ainda criança no seio da família e continua sem interrupção.  Seu primeiro livro intitulado “Agdá” foi publicado em 2012, seu mais novo trabalho é a obra literária “O caminho das estações” Ed. Mondrongo/BA-2018. A escritora tem textos publicados em várias coletâneas e antologias, dentre elas Cadernos Negros (Quilombhoje/SP-2017) e Com Amor & Luta (Ed. Òmnira/BA-2017) e nas redes sociais.

Roberto Leal é jornalista, escritor, poeta, repórter fotográfico, editor, ativista cultural e palestrante

 

Roberto Leal é jornalista (DRT/BA 3992), escritor, poeta, repórter fotográfico, editor, ativista cultural e palestrante, nascido em Salvador/Bahia, in Brasil, hoje residindo em Angola. Autor de Cárcere de Poemas  – 2000 e  C’alô & outros poemas – 2012 ambos esgotados e C’alô & Crônicas Feridas – 2018/4ª Edição, todos pela Ed. Òmnira/BA-Brasil. Foi colaborador em jornais como Bahia Hoje, A Tarde, Tribuna da Bahia e Correio; revistas e periódicos no Brasil e exterior; é editor da revista brasileira de Literatura “Òmnira” –  que na língua Yorubá quer dizer: Liberdade.

É organizador de centenas de coletâneas e antologias em poesia e conto, no Brasil e em Angola/África. Recebeu em novembro de 2014 o título de “Embaixador da Literatura Brasileira” em Angola, pelo Movimento Viv’Arte do Uige, é também fundador do Movimento Literário Kutanga/Angola e presidente da UBESC – União Baiana de Escritores.

Foto: Jovina Souza por Roberto

LealRoberto Leal (Divulgação)

 

 

 

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

O eleitor e as eleições 2018

Grande parte do eleitorado brasileiro, são analfabetos funcionais.
CHARGE: arquivos Google

No próximo pleito eleitoral que será realizado em 2018, provavelmente com a maioria das mesmas “figurinhas carimbadas”, o eleitor brasileiro terá a oportunidade de reescrever a história deste País. Empenhar-se em reconstruir a democracia jogada na lama pela turma do golpe. Arquitetar um país mais justo, mais coletivo, mais representativo, contemporâneo, onde haja também a inclusão das minorias.

Um país onde a Educação, Cultura e Arte tenham prioridades, assim como a saúde, segurança e a redução do nível de desemprego. Acima de tudo, a restauração da Soberania Nacional que foi jogada ao lixo por Mi$hell Temer, mas não só por ele, como também pela grande imprensa golpista – PIG – super apoiada pelas Organizações Globo dos irmãos Marinhos – “os sem nomes próprios” como diz Paulo Henrique Amorim – PHA.

O seu voto é muito importante porque é ele que elegerá quem vai participar da administração, não só do país, mas de sua vida; dos preços dos produtos que você vai adquirir, como alimentos, combustível, mensalidade escolar, plano de saúde, etc.

O eleitor mais uma vez terá a oportunidade de dar o primeiro passo para a transformação do Brasil, digitando na urna eletrônica um voto consciente. É mais uma oportunidade de lutar por direitos iguais entre pobres, negros, gays, melhor divisão de renda, direito a educação entre tantas outras questões.

Um dos pontos que se deve ter bastante atenção são as promessas eleitoreiras. O político brasileiro sempre foi abundante em suas promessas de campanha. Sempre falsas promessas que nunca vão ser realizadas, promessas que nunca serão executadas. São todas falácias, trapaças, fraudes, mentiras para conseguir o voto do eleitor, principalmente dos menos esclarecidos.

Os políticos ficha suja, irão negar veementemente que já se envolveram em falcatruas: “são tudo mentiras, invenções da oposição para me prejudicar” – sempre dizem eles. Infelizmente 91% dos políticos investigados pela Operação Lava Jato, serão candidatos à reeleição. Um absurdo, mas o brasileiro merece passar por esta situação caótica. Na sua grande maioria são analfabetos políticos.

Outra mentira que andam espalhando é a de que se houver mais da metade dos votos nulos as eleições serão anuladas e os candidatos que participaram não poderão concorrer no novo pleito. É mentira. Mesmo que 99% dos eleitores votem nulo, quem tiver 1% dos votos válidos será eleito.

Que os brasileiros votem com responsabilidade e não com amor a partido e nem a político corrupto.

Alberto Peixoto-Escritor

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Acordos políticos e suas consequências para a nação e o povo brasileiro/ Por Sérgio Jones*

Congresso Nacional: um Shopping Center onde se compra e se vende o que quiser.
FOTO: arquivo Google

Especialistas, analistas, ou seria os sacerdotes dos oráculos talvez não mais de Delfos, das mais variadas tendências ideológicas se debruçaram, recentemente, sobre os seus respectivos alfarrábios para traçarem um perfil da atual conjuntura política do país. Entretanto se esqueceram de traçar o perfil e o comportamento do eleitor brasileiro, possivelmente por ser este um dos elos mais importantes desta corrente que tantos males têm causado a sociedade, como um todo. Por isso mesmo, este aspecto foi ignorado ou não tem merecido a atenção devida que a situação exige.

Mas vamos ao que preveem os sacerdotes e sacerdotisas de plantão que se arriscam a traçarem prognósticos, nem sempre confiáveis, se levarmos em consideração a gama diversificada de carga ideológica e interesses que tais análises implicam. Nunca é demais alertar que a tão propagada neutralidade axiológica nem sempre hipoteca as possibilidades de existência de ética.

Ao se referirem ao acordo traçado entre o PT e PSB e a aliança com o PSDB e o Centrão, segundo os analistas de plantão, ambos isolando o candidato Ciro Gomes, do PDT, sinalizam para o seguinte aspecto de que esta será a tendência das possíveis coligações que se desenrolarão daqui para frente entre os partidos na disputa eleitoral deste ano.

Outros cunharam o termo “cordão sanitário” no tocante a estratégia adotada pelo PT visando isolar Ciro Gomes e que uma das hipóteses do plano é construir “um arco de apoio para eleger deputados, senadores, governadores para garantir presença no Legislativo e Executivo dos Estados e no Congresso”.

Dentre as inúmeras profecias, destaque para o que eles atestam como aquela que se classifica como desafio maior, este se apresenta na elaboração do trabalho na construção de uma confiança potente, alimentada por um novo patamar democrático. O que significa adotar uma perspectiva urgente, tendo o tema da nova proteção social, proposta política capaz de deslocar o debate.

Na sequência continua chovendo previsões para todos os gostos, principalmente no que concerne a estratégia petista em relação ao candidato Ciro Gomes, que tenta recriar a polarização PT-PSDB na campanha inicial. Para tanto, precisaria diminuir a possibilidade da candidatura Ciro Gomes e atrair o campo de aliados históricos do PT (PCdoB e PSB) e diminuir o índice de intenção de votos de Bolsonaro. Quanto a este, a candidatura Alckmin tratará de sua desidratação. E que o Centrão oferece uma série de vantagens, inclusive a de possibilitar mais tempo de propaganda na televisão.

Embora estejam em ruínas, os templos e casas fortes que um dia abrigaram os sacerdotes e sacerdotisas do Oráculo de Delfos, localizados na cidade de Delfos (que hoje já não existe), região central da Grécia, há cerca de 2500 anos. No Brasil, ele continua firme de uma forma revisada. Aconselhando, analisando e fazendo prognósticos para os políticos tupiniquins brasileiros dos mais diversos matizes políticos.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Brasil que se f*** !/Por José Manuel Cruz Cebola*

Todo o meu sonho de um Brasil no topo do mundo começou a ruir quando, durante o jogo (2014)entre o Brasil e a Croácia, o mundo ouviu a multidão gritar: ‘Dilma, vai tomar no cu!’.,

De 2004 até 2010 promovi uma ‘luta’ com as minhas amizades brasileiras no sentido de as esclarecer que havia um outro mundo para além do mundo sombrio de um Brasil saído das trevas de uma longa ditadura militar.

Tirando uma pequena faixa de amizades bafejada pela sorte e pelo dinheiro, que conhecia do mundo tanto ou mais que eu (com uma pequena grande diferença: conhecia os hotéis de cinco estrelas e eu, na melhor das hipóteses, um ou outro de quatro….), os restantes nunca tinham saído das suas terrinhas, quanto muito tinham ido até à capital do seu estado (se não ficasse longe).

Bastantes desses brasileiros, a partir de 1995 deixaram o seu país e procuraram melhor sorte no continente europeu, a maior parte deles em Portugal. Conheci bastantes e a alguns/algumas dei emprego. Isso permitiu-me ouvir na primeira pessoa relatos impressionantes do que fora a sua vida no seu país.

Desde a Jaciara, uma miúda de 23 anos do sertão nordestino profundo cujos pais a entregaram como serviçal a uma família rica da zona quando ela tinha 10 anitos e em casa de quem ficou até ter conseguido fugir para Portugal aos 23 anos, trabalhando sem horário e dormindo num colchão no chão a troco apenas da comida, até à Maria Dolete, paranaense de Maringá, cujo pai a forçara a laquear as trompas quando tinha 19 anos para não lançar mais filhos no mundo, e passando por muitas outras nordestinas, mineiras e paranaenses, de tudo conheci um pouco e com um saldo de muitas centenas de horas de conversa tipo em família, fiquei sabendo o que era o Brasil real de então.

E assim foram passando os anos e eu sempre lutando por mostrar um outro mundo a todos eles e por lhes fazer sentir que os portugueses não eram os “manéis” que eles pensavam ser, gente burra e inculta, homens de farfalhudo bigode e mulheres de muito “pelo” no queixo.

Foi então que se fez luz e o dia raiou no Brasil com a chegada de Lula à presidência. Até ao final do seu primeiro mandato, pouco se alterou em termos de cultura do povo. Foi nas áreas social, da educação e da saúde que tudo mudou em Terras de Vera Cruz que as coisas começaram a mudar e se estabilizaram até ao final do seu segundo mandato. Quando Dilma assumiu o poder, já tínhamos um outro Brasil.

Foi aí – estamos a falar do final da primeira década do novo milénio – que os brasileiros que tinham fugido da fome no seu país e procurado melhor sorte do outro lado do Atlântico começaram a regressar à sua pátria, onde já tinham sido criadas condições que lhes permitiam ter uma vida digna, ou seja ter acesso ao ensino superior, aos cuidados de saúde pública, a casa própria e até a carro. E foi nestes anos que os voos das companhias aéreas, sobretudo da nossa TAP, andavam cheios de brasileiros que, finalmente, tinham dinheiro para passarem férias na Europa.

Encontrei aqui muitos! E foi nestes anos que eu comecei a ter um enorme orgulho no NOVO Brasil, o Brasil que começou a ser respeitado em todo o mundo e cujos governantes eram olhados com simpatia (Obama sobre Lula : ‘Este é o cara !’) e ouvidos com respeito pelos grandes do mundo. Tenho ainda presentes na minha memória imagens de Obama ou Merkel olhando Dilma nos olhos e ouvindo com a máxima atenção o que ela dizia. Foi o tempo em que eu sonhei ter o Brasil como nação dominante no continente americano e substituindo os EUA nesse papel. Era a vitória da Lusofonia.

Quem me conhece de mais perto sabe que eu não gosto de Lula. Mais ainda: tenho uma enorme raiva dele. Mas isso são assuntos pessoais que se prendem com a sua ingerência em dois negócios que foram desastrosos para Portugal (um, felizmente e graças ao nosso actual governo de esquerda foi revertido). Estou falando da nossa PT – Portugal Telecom e da nossa TAP. Felizmente, a minha racionalidade leva-me a olhar Lula com dois olhares diferentes, o de um português que se sentiu prejudicado com as suas interferências em negócios luso-brasileiros, e o de um lusófono que olhava para o Brasil como se fora a sua própria pátria.

Quanto a Dilma, acho que ela é a única brasileira honesta. Os meus muitos amigos também honestos que me perdoem…

Falhas nas duas governações? Houve bastantes. Sempre apontei algumas, umas mais gravosas que outras. Mas os pratos da balança pendem muito para o positivo.

Batedores de panelas, classe média brasileira, estão tendo dificuldades de viajarem.
FOTO: arquivo Google

Infelizmente, todo o meu sonho de um Brasil no topo do mundo começou a ruir quando, em Junho de 2014, durante o jogo no Itaquerão entre o Brasil e a Croácia, o jogo de abertura da Copa 2014, o mundo ouviu a multidão ululante gritar ‘Dilma, vai tomar no cu!’.

E continuou a ruir quando, em Agosto de 2015, na Câmara de Deputados, os eleitos pelo povo, em perfeito delírio, gritavam ‘E eu dedico o meu voto à minha irmã, lá no Rio Grande do Sul…’ , ‘Eu dedico o meu voto às cuecas velhas do meu avô lá na Rondônia…’

E ruiu ainda mais quando, no ano passado, vi milhares de cidadãos brasileiros – uma grande parte deles que tinham então filhos na faculdade, tinham casa própria e carro zero quilômetros graças a Lula e a Dilma – fazendo as grandes e as pequenas cidades parecerem circos de terceira categoria, batendo panelas, gritando ‘Tchau, querida!’, adorando patos amarelos insufláveis.

E acabou por cair hoje com a votação que iliba um dos maiores corruptos do Brasil, o golpista Temer. Assim, minhas amigas e meus amigos brasileiros, não me ouvirão mais falar do Brasil. Para mim, o Brasil (este, o dos golpistas) acabou. Agora, o Brasil que se lixe. Traduzindo em vernáculo português do Brasil, o Brasil que se f*** !

José Manuel Cruz Cebola – Crítico

Portugal/Sintra

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

O brasileiro no exterior

Os brasileiros falam muito alto, soltam palavrões, destratam garçons…
FOTO: arquivo Google

O brasileiro intelectualizado quando chega ao exterior, principalmente na Europa, se sente envergonhado. A primeira pergunta que lhe fazem é sobre a corrupção no Brasil, e ele passa a achar que está sendo visto como mais um corrupto e se sente um ser de qualidade ínfima.

Por mais que tente minimizar o problema, ele percebe que o sentimento do estrangeiro em relação a ele, é de dúvida. O brasileiro caiu no descrédito diante da visão reprovadora do mundo! Ninguém mais pergunta sobre futebol, samba ou carnaval. A bola da vez é a corrupção imposta pelo golpe, deixando a autoestima do brasileiro em baixa.

O europeu não entende como se pode “impeachmar” uma presidente honesta, Dilma Rousseff, e colocar em seu lugar Mi$hell Temer, um chefe de quadrilha, corrupto, incompetente aos olhos de milhões de brasileiros, que a tudo aceita sem contestar nada. Fica o brasileiro rotulado como ignorante, sem o mínimo de conhecimento político, ou como sendo “todos farinha do mesmo saco”. Coniventes.

Não sabem os estrangeiros, que o Congresso Nacional é composto na sua grande maioria, por conservadores e canalhas, analfabetos políticos e alguns analfabetos funcionais, interessados só em levar vantagens – propinas – aliados a um Judiciário também corrupto, submisso a um “juizeco” de Primeira Instância, sempre trajando ternos pretos – complexo de MIB – apoiado pelas Organizações Globo. Manipulam a população brasileira, que é formada na sua grande maioria por incultos e, principalmente, por analfabetos políticos.

Além da corrupção, o brasileiro, devido à sua má formação intelectual, se comporta no exterior – talvez por complexo de sabe-se lá Deus de que – como se estivesse na cozinha de sua residência. Falam muito alto, soltam palavrões, destratam garçons, e se acham o “rei – ou rainha – da cocada preta”.

Algumas cidades europeias não vêem com bons olhos os turistas brasileiros, entre elas Amsterdam, Barcelona e Madrid. Procuram sempre restringir o número de visitantes brasileiros a estes locais, não só por causa da corrupção que assola o Brasil, mas também por sua falta de educação.

Infelizmente os brasileiros devem isso, não só aos políticos corruptos – quase todos – mas também aos “coxinhas” batedores de panelas, classe média que se acham ricos.

Alberto Peixoto – Escritor

Leave a Comment

Filed under Sem categoria