Ronaldo com Fernando de Fabinho detona a reeleição de Colbert/Por Carlos Lima*

Nessa terça-feira (1), recebi uma mensagem através do whatsapp, solicitando uma análise política da indicação de Fernando de Fabinho para ser o vice-prefeito na chapa de Colbert Filho (MDB).

Existem várias suposições. Mas politicamente vou seguir uma inclinação. A sombra que pretende se formar, assusta.

Para uma liderança política forte, ainda representada pelo ex-prefeito, a reeleição de Colbert é uma ameaça, pelo que existe, e o que ainda pode acontecer.

Ronaldo é um politico experiente, profissional, não pendurou as chuteiras, nem pretende.

Nessas eleições está com um olho no padre e outro nos fiéis que frequentam e participam das missas.

Eleitoralmente Fernando de Fabinho é praticamente um zero a esquerda. Tem um passado que o enquadra no esquema de “Ficha Suja”. Não possui nenhuma densidade eleitoral que possa contribui com a reeleição de Colbert.

Nomes como Justiniano França, Zé Chico, Pablo Roberto ou um nome novo do empresariado feirense estariam em melhores condições de fortalecer a votação do emedebista,  com mais reconhecido respaldo eleitoral, do que o nome indicado.

Sociologicamente considerado como os farrapos de uma múmia.

Diante dos fatos se deduz que José Ronaldo não morre de amores pela reeleição de Colbert. Já deve ter descoberto que a continuidade do prefeito é o inicio do fim.

A verdade se confirma pela conversa telefônica mantida com o pré-candidato Carlos Geilson. Pediu moderação na campanha e se dispôs apoiá-lo no segundo turno.

Os sinais são claros.

Ele não poderia ser o Rei do Pilão, sem antes ter sido “Príncipe”.

O espelho escolhido deve ter sido a mais importante biografia de Maquiavel, autoria de Roberto Ridolfi, “Vita di Nicoló Mqchiavelli”.

O ex-prefeito está jogando alto, está assumindo a condição de dois passos atrás, para neutralizar qualquer adversário que ouse desconstruir sua força e liderança política.

Colbert derrotado, não será derrota de José Ronaldo, parte do seu eleitorado tem argumentado não votar no prefeito atual, mas mantém o respeito ao Rei do Pilão, em outras circunstâncias votariam nele.

O prefeito de Feira de Santana possui um alto percentual de rejeição, Ronaldo sabe que esses índices devem aumentar com Fernando de Fabinho sendo o candidato à vice, consequentemente a transferência de votos que ele pode proporcionar sofrerá declínio, sem dúvida não é uma condição política satisfatória para as pretensões de reeleição de Colbnert. Mas pode ser o objetivo de José Ronaldo.

A fraca transferência de votos não tira o peso político de quem lidera. Uma coisa é transferir o voto para alguém, outra é o voto pessoal.

Colbert está robustecendo a transferência de votos para Zé Neto, com o chamado voto punitivo, que ele mesmo constrói pela antipatia, péssima administração, falta de carisma, impopularidade refletida na rejeição e também a intensa suspeição na aplicação dos recursos públicos.

São atitudes políticas totalmente neófitas as que estão sendo adotadas pelo seu governo.

O governo de Colbrt sobrevive das sobras do governo do ex-prefeito José Ronaldo. O fato se confirmou no discurso do ex-prefeito anunciando o seu apoio à reeleição dele.

Alguma observação em contrário sobre essa gestão desastrosa e a provável estratégia adotada pelo ex-prefeito.

Carlos Lima, Jornalista

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.