Concentração do poder político prejudica o desenvolvimento de Feira de Santana/Por Carlos Lima

Feira de Santana, década de 50 – Século XX
FOTO: Acervo Carlos Melo

É quase impossível acreditar num comportamento democrático de um grupo político que controla um município por 20 anos e tenta se perpetuar no poder.
É como o ditado popular que diz que o hábito do uso do cachimbo. Deixa a boca torta.

O sentimento de poder se transforma em sentimento de propriedade e implicitamente lhe assegura a certeza de que podem, devem e fazem o que querem a qualquer hora em qualquer situação.

Feira de Santana passou a conviver com essa aberração política. Inclusive seus governantes atuais se acham no direito de perseguir e calar os contrários ou aqueles que eles criaram qualquer tipo de repulsa.

Estão simplesmente tentando edificar o pensamento único. O perigo é explosivo. A mudança é imprescindível.

Essas lideranças a princípio trouxeram alguns benefícios, mas o círculo vicioso de poder contaminara suas ações.


A corrupção foi desenvolvida em vários casos com eficiência tecnológica e as denúncias e investigações não são devidamente apuradas.

As decisões passaram a ser monocráticas, de projetos pessoais, enquanto a construção da altivez social e coletiva escoa pelos ralos dos interesses.

O grupo político que domina o colégio eleitoral do município deve ser repensado. Está fatigado, denunciado e de credibilidade questionável diante de algumas operações realizadas e a serem, como a Pityocampa, na área de saúde, que atualmente dorme em berços esplêndidos.

A suspeição paira sobre: serviços de limpeza pública, transporte coletivo, como o BRT, onde já se gastou mais de 100 milhões de um orçamento de 86 milhões, merenda escolar, recursos do Fundeb entre outros.

Vamos nos debruçar no processo eleitoral de 2020, quando ocorrerão as eleições municipais.

Esta será a verdadeira oportunidade de oxigenar a nossa política e proporcionar as mudanças tão necessárias e exigidas pela democracia.

Vamos votar para mudar.

Parte superior do formulário

Carlos Lima, Jornalista

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.