Jornalista Sérgio Jones ingressa com notícia crime e ação judicial por abuso de autoridade contra o vereador José Carneiro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana

Jornalista Sérgio Jones foi duas vezes vítima das agressões do vereador José Carneiro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana.
FOTO: jornalgrandebahia.com.br

Jornalista Sérgio Jones foi duas vezes vítima das agressões do vereador José Carneiro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana.
Jornalista Sérgio Jones foi duas vezes vítima das agressões do vereador José Carneiro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana.

Jornalista, colaborador do Jornal Grande Bahia (JGB) e do CL Jornal, ex-funcionário comissionado da Câmara Municipal de Feira de Santana, Sérgio Antonio Costa Jones protocolou em 24 de outubro de 2019 (quinta-feira) notícia crime contra o vereador José Carneiro Rocha (PSDB), presidente do Legislativo Municipal. Além disto, em data anterior, ingressou na Vara da Fazenda Pública requerendo revogação de ato praticado pelo edil, por evidente abuso de autoridade.

1º Ato: o abuso


A controvérsia entre José Carneiro Rocha e Sérgio Jones teve início quando foi publicado em 16 de setembro de 2019, no CL Jornal, site de notícias dirigido pelo jornalista Carlos Lima, artigo com título ‘Dirigindo às cegas presidente da câmara põe risco segurança do trânsito em Feira de Santana’. Assinado pelo próprio Carlos Lima, o artigo abordava a aparente dificuldade visual que o vereador demonstrava ao dirigir o próprio veículo o que, em tese, pode levar a grave acidente de trânsito.

Irresignado com o artigo, o vereador atribui, sem provas, a autoria do artigo ao jornalista Sérgio Jones e o demitiu sumariamente do cargo de confiança que detinha no gabinete do vereador Gilmar Amorim. Neste ponto, reside o evidente abuso de autoridade caracterizado em dois aspectos, primeiro, o vereador atribuiu autoria do artigo à Sérgio Jones, depois, a revelia da autoridade à qual Sérgio Jones estava nomeada, determinou a demissão sumária, sem direito ao contraditório e sem apresentar argumento plausível para tal fim. “Fi-lo porque qui-lo”.

Em contato pessoal com Sérgio Jones, o próprio Gilmar Amorim confessou estar surpreso com a atitude do presidente e disse que jamais assinaria qualquer documento requisitando a demissão do jornalista, porque o considerava um excelente profissional, pessoa séria e íntegra, que agia de forma correta e leal.

2º Ato: o arbítrio


Mas, como o arbítrio é sempre o recurso dos tolos. Pouco contente em demitir Sergio Jones do cargo comissionado, o vereador José Carneiro, ao encontrá-lo, fez uma abordagem autoritária, agrediu verbalmente com uso de palavras impronunciáveis por pessoas civilizadas e, até mesmo, o chamou para uma disputa violenta, tipo combate mano a mano, apontando a parte externa das dependências da Câmara Municipal, como local onde iria dar uma surra em Sérgio Jones, que por sinal, é qualificado como idoso pela legislação federal.

Presenciado por servidores do legislativo, gravado por câmeras de vigilância, o episódio está, neste momento, circunscrito a um episódio policial, que se tornará, em breve, em novos processos judiciais, contra o edil.

O Poder Legislativo de Feira de Santana foi, neste aspecto, conspurcado pelo fétido odor da vilania, do arbítrio e da violência e cabe aos vereadores que se julgam sérios, depurar o mal que infesta o poder público.

Confira nota encaminhada por Sérgio Jones ao Jornal Grande Bahia (JGB)
Presidente do legislativo feirense ameaça agredir jornalista no interior da Câmara | Por Sérgio Jones

Na manhã desta quinta-feira (24), por volta das 08:00h o jornalista, Sérgio Jones, quando se encontrava no interior da Sala Vereador Antônio Carlos Daltro Coelho – Divisão Legislativa, conversando com um dos funcionários daquele setor, foi surpreendido com a entrada brusca do presidente da Câmara José Carneiro Rocha.

Portando carteira de habilitação em uma das mãos partiu em direção do profissional de imprensa alegando ser portador da mesma, o que o tornava apto para dirigir veículos automotivos. Como se não bastasse o ato tresloucada, se utilizando de palavras de baixo calão se dirigiu ao mesmo. Não se dando por satisfeito, pelas agressões verbais, mandou que ele se retirasse da sala para que o agredisse fisicamente, na parte externa do prédio. O que só não aconteceu pelo fato de a vítima não ter atendido o seu chamado.

No local do ocorrido se faziam presentes os servidores identificados pelos prenomes de Charles, Iramar e Edna. O fato de insanidade apresentado pelo vereador agressor tem como precedente a um artigo veiculado recentemente, em que o denunciava que o edil se encontrava dirigindo veículo de sua propriedade. Quando tentava estacionar o mesmo, no estacionamento do prédio da Câmara. A dificuldade em realizar a manobra do automotivo, chamou a tenção dos transeuntes que circulavam no local naquele momento.

No período veiculou-se uma nota no site CLjornal. Que chama a atenção para o risco deste cidadão em dirigir automotivos. O presidente do Legislativo, como é do conhecimento geral, sofre de grave deficiência visual. O artigo questionava o fato diante do perigo que a atitude do vereador representava para a segurança das pessoas e até dele próprio que circulam pelas ruas avenidas da cidade. Comportamento este, desnecessário já que ele dispõe de motorista e veículo da Câmara, que é bancado pelo erário.

A veiculação do artigo, que não foi assinado por mim, resultou na demissão arbitrária do legislativo onde eu prestava assessoria ao vereador Gilmar Amorim, este sequer foi consultado sobre a minha exoneração.

Também foi questionado o papel da Ciretram que forneceu a Carteira de Habilitação. Afinal o citado cidadão foi submetido ao teste de acuidade visual? Se foi o que permitiu a entrega deste documento? O que fica registrado é que o presidente demonstra não ter equilíbrio emocional nenhum para continuar frente a este poder.

Diante do fato inusitado, só me resta uma alternativa, formular uma queixa crime contra o agressor. O que estou fazendo neste momento.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Artigo assinado por Carlos Lima relata dificuldade visual do vereador José Carneiro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, em dirigir o próprio veículo.

Artigo assinado por Carlos Lima relata dificuldade visual do vereador José Carneiro Rocha, presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, em dirigir o próprio veículo.

PUBLICADO POR: CARLOS AUGUSTO 29 DE OUTUBRO DE 2019 NO JORNALGRANDEBAHIA.COM.BR

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.