O ódio de Bolsonaro

Fé na vida, fé no homem, fé no que virá, nós podemos tudo, nós podemos mais, vamos lá fazer o que será!
FOTO: O Cafezinho

O presidenciável racista, ditador, misógino, preconceituoso, homofóbico e violento Jair Bolsonaro, dissemina o ódio e agride as pessoas, principalmente se for mulheres, negros, pobres ou homossexuais, deixando a atmosfera carregada com sua energia negativa e de baixa frequência.

Faz parte do projeto de governo deste fascista, a legalização do porte de arma. Ora, se a violência extrapolou índices acima de valores nunca visto neste país, não é armando a população que vai se conseguir reduzir a violência. Não se consegue combater a violência com violência. O máximo que ele pode conseguir é uma guerra civil, principalmente em um país onde o crime organizado está mais organizado do que as Forças Armadas.

O mais incrível é que pessoas que se dizem Cristãs, apoiam este energúmeno acéfalo. Jesus Cristo morreu na cruz pedindo ao Pai que perdoasse os seus algozes: “Pai, perdoa-os, porque não sabem o que fazem” – suplicou Jesus. Pelo comportamento destes falsos Cristãos – ou Cristãos desorientados – seriam capazes de matar Cristo em nome de Cristo. É incrível como estes indolentes hipócritas usam a religião para ganhar votos.

Mais incrível ainda é saber que, após a mensagem do candidato Jair Bolsonaro de que não precisa do voto de negros, homossexuais, mulheres, pobres, nordestinos e indígenas, boa parte desta parcela da sociedade, ainda vota neste obtuso.

Como se pode observar, é possuidor de transtornos mentais e um transtorno mental não é algo que seja possível simplesmente superar. Está sempre a agredir negros, pobres, mulheres, nordestinos e a todos que não se adequem aos seus pensamentos de mentecapto ao último nível de irresponsabilidade.

As mulheres porque engravidam e menstruam, segundo ele, são seres inferiores e devem ganhar um salário menor do que os homens. Não sei por que este misógino tem tanta raiva das mulheres! Por onde será ou por qual órgão ele saiu do ventre de sabe-se lá o quê? Talvez filho de chocadeira.

Não importa a cor da pele, nem se os olhos são azuis ou verdes e muito menos se o cabelo é liso ou encrespado. Ou se nascemos no Norte ou no Sul, no Nordeste ou no Leste. Somos todos gente e filhos do mesmo Deus.

Mesmo assim, brasileiros, vamos tomar como tema de nossa “correria” a letra da música “Nunca Pare de Sonhar” da autoria de Gonzaguinha. Segue um trecho da letra muito adequado para este momento de turbulências social e política: “[…] para não ter medo que este tempo vai passar. Não se desespere, nem pare de sonhar, nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs. Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar, fé na vida, fé no homem, fé no que virá, nós podemos tudo, nós podemos mais, vamos lá fazer o que será![…]”

Que nesta reta final de campanha política, não haja mais derramamento de sangue. Que os “desesperados” procurem ser mais civilizados. Deixem a barbárie trancada no armário.

#EsteCabruncoNão

Alberto Peixoto – Escritor

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.