Mãe, presente em forma de gente!

Pró Garrido e sua mãe.

Hoje é dias das mães. Mãe, mainha, mamãe, mamy! Não importa a maneira que você a chame, elas são as nossas referências, exemplo de cuidado com excelência e generosidade.

Mãe é para todas as idades. Muitas vezes, a gente acha que está auto suficiente, colocamos nossa melhor máscara social e saímos por aí, cheios de segurança. Mas isso por fora, pois por dentro, estamos como Roberto Carlos cantou um dia, para sua mãe, “Tenho, às vezes, vontade de ser novamente um menino e na hora do meu desespero gritar por você”.

Mãe é padecer no paraíso? É, porque mesmo cortado o cordão umbilical, o verdadeiro vínculo é para sempre. É seu amor incondicional e seu conflito existencial. Querer ter embaixo das asas, o tempo todo, os seus pintinhos ou criar filhos independentes, para entregar ao mundo? Conflito retratado por uma bela canção de Zezé de Camargo e Luciano, “Sei que ela nunca compreendeu, os meus motivos de sair de lá, mas ela sabe que depois que cresce, o filho vira passarinho e quer voar”.

Vale registrar que na ciranda da vida, quando somos mãe ou pai, é quando melhor entendemos seu papel. Quando entendemos que mãe tem defeitos e qualidades e é de carne, osso e um enorme coração.

E quando elas nos deixam, é uma dor que demora de passar, só o tempo para fazer essa dor virar uma saudade gostosa e termos então, uma lembrança terna para nos acalentar. A gente segue em frente, mas o buraco que fica é para sempre.

Então, se você tem mãe, original ou substituta, pois mãe não é só a biológica, mas a que cria e a que cuida, e aí vale incluir as avós, sogras, tias e os pais que também são mães, comemore este dia, pois mãe é dádiva divina, presente em forma de gente.

Não se contente só em dar um presente. Isto é muito pouco para ela. Dê presentes imateriais! Até porque se ela pudesse te pedir algo, diria, “Meu filho, eu quero um filho”!

Agradeça essa benção de ter ou ter tido uma mãe como a sua, pois como cantou Toquinho “Ela é a dona de tudo, ela é a rainha do lar, ela vale mais para mim, que o céu, que a terra, que o mar”.

Profgarrido
Filho de Dona Flor

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.