O governo Rui Costa

Governador Rui Costa

O governador Rui Costa vem sendo o melhor gestor público a nível de governo do Estado, dos últimos dez anos. Obras estão sendo efetuadas em todos os “cantos” do Estado da Bahia. Podemos dar como exemplo, as áreas de saúde e infraestrutura que são as duas mais beneficiadas.

Em Ilhéus e Itabuna já estão em fase de conclusão, a Barragem do Rio Colônia, o Hospital Regional da Costa do Cacau e a nova ponte Ilhéus-Pontal.

Na educação, será lançado um programa com bolsas de estudos de apoio para os jovens que foram aprovados nas universidades estaduais e são filhos de pessoas de baixa renda, até o quinto semestre do curso superior. A partir do sexto semestre o Estado vai fornecer vagas de estágio para que ele viva da renda do próprio trabalho.

Conforme pesquisa realizada pelo Instituto Paraná, a administração do governador Rui Costa (PT) tem 63% de aprovação da população e 32,6% de rejeição. Foram entrevistadas 1.510 pessoas.

No entanto, quando o assunto é servidor público, não pode se dizer a mesma coisa. O servidor público baiano em janeiro de 2018 completará 4 anos sem reajuste, sequer a correção da inflação do período e, segundo o governador, dificilmente terá aumento ou qualquer reajuste salarial. Esta notícia é muito desagradável. É “possível” que no ano de 2018 haja um reajuste salarial.

“Não há medida que eu consiga fazer a não ser que sejam drásticas, o que não é a minha pretensão. Não há milagre a fazer. Se a economia continuar desse jeito, não haverá reajuste dos servidores em 2017. A reforma na estrutura do governo é permanente. Na medida em que funcionários de várias áreas vão aposentando, eu não estou repondo esse pessoal. Só estou repondo polícia civil, polícia militar e professor. Nem a área de saúde estou repondo. Nossa ideia é adotar modelos de PPP [Parceria Público-Privada] nos hospitais. Na medida em que os profissionais de saúde foram se aposentando, nos novos hospitais vamos abrindo como OS ou PPP, que significa serviço público gratuito mas não servidores públicos e com isso eu diminuo o índice a longo prazo”, afirma o governador.

O servidor público é sempre o culpado de tudo. É sempre ele que tem que pagar a conta. Parece até que o Sr. Governador concorda com a famigerada propaganda da Reforma da Previdência que fala de “privilégios” do servidor público. O servidor público é um trabalhador como todo mundo, e se ele está lá é porque concorreu com milhares de pessoas de igual para igual em um concurso público. O salário que o servidor público recebe não é “privilégio” de forma nenhuma, até porque em termos de “privilégios”, os nossos políticos ganham longe com verbas de gabinete, auxílio moradia, auxílio paletó, auxílio “isso”, auxílio “aquilo” e outras benesses incorporadas em seus polpudos contracheques. O salário do servidor público nada mais é do que a justa contrapartida pelos seus trabalhos realizados. Afinal de contas, mesmo sem reajuste nenhum em seus salários, os funcionários da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, mantem a arrecadação de impostos sempre crescente, mostrando que seu trabalho é importante e continua sendo executado com dignidade mesmo sofrendo com o “descaso” do nosso governador.

Infelizmente os servidores públicos não podem transferir suas contas a pagar para o próximo ano; o governador Rui Costa também precisa saber que cada servidor pode vir a ser um cabo eleitoral a favor ou contrário, a depender do nível de satisfação/insatisfação dos mesmos.

Alberto Peixoto – Escritor

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.