Corrupção: tudo que está escondido será revelado.

O “temeroso” governo interino, com a delação de Sérgio Machado, já perdeu três ministros

O “temeroso” governo interino, com a delação de Sérgio Machado, já perdeu três ministros

“Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado, e nada em segredo que não seja trazido à luz do dia.” (Marcos 4:22)

Os fatos ocorridos nos últimos dias se adequam justamente a este versículo da Bíblia escrito por Marcos. Pode-se até acrescentar que “não ficará pedra sobre pedra”.

José Sérgio de Oliveira Machado, mais conhecido como Sérgio Machado (ex-senador PSDB), resolveu abrir a “caixa de Pandora” da política brasileira e soltar os demônios que estavam escondidos e trancados a sete chaves, para sacudir o mundo político. Grande parte da corrupção que era dúvida para alguns, agora já não é mais.

O “temeroso” governo interino, com a delação de Sérgio Machado, já perdeu três ministros: Romero Jucá (Planejamento), Fabiano Silveira (Transparência) e o do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). “Qual o próximo a cair nesse governo golpista?” – questiona Dilma Rousseff. Segundo comentários o próximo será o Ministro interino da Educação, Mendonça Filho (DEM-BA), acusado de ter recebido uma propina de R$ 100 mil reais pagos pela UTC Engenharia.

É fundamental que este tsunami político deixe um legado. O da moralidade, da honestidade e do bom caráter não só na política, mas em todos os segmentos; tomando como exemplo o futebol. Alguns dirigentes da CBF não podem viajar para o exterior. Caso isso aconteça serão presos pelo FBI – Federal Bureau of Investigation – acusados de corrupção.

Dando continuidade a esta “teia de aranha” da corrupção brasileira, o ex-prefeito do município de Pirambu (SE), Juarez Batista dos Santos, detalha minuciosamente a forma como o deputado federal André Moura (PSC-SE), desviou dinheiro da prefeitura para quitar dívidas pessoais e de seus familiares e, além disso, cativar alguns aliados políticos. Sendo que ele também foi prefeito de Pirambu.

O interessante de tudo isso que está vindo à tona, e que é contra o presidente interino Michel Temer, Aécio Neves e os 150 deputados e senadores que Cunha disse estarem envolvidos em corrupção, ou não acontece nada, ou as providências não tem a celeridade necessária que o momento exige.

Por outro lado contra Dilma Rousseff, presidente eleita democraticamente através de mais de 54 milhões de votos, ocorre o contrário. Em uma entrevista na Suécia ao jornalista Wellington Calasans, o ministro do STF Gilmar Mendes reconhece de forma constrangedora, que a presidente Dilma Rousseff está enfrentando um processo de impeachment sem ter cometido crime. “Veja, se ela também tivesse cometido o crime, ficasse flagrantemente provado que ela tivesse cometido o crime, e ela tivesse obtido 172 votos, ela também não seria processada”, afirmou Gilmar Mendes. Vamos aguardar confiantes de que Marcos, a quase 2000 anos, já tinha razão.

Leave a Comment

Filed under Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.